Síncope é uma perda temporária da consciência devido a isquemia cerebral generalizada - uma redução na irrigação de sangue para o cérebro. Síncope é um problema frequente sendo responsável por aproximadamente seis por cento de todas as admissões hospitalares.

 

Síncope Neurocardiogénica

O termo médico desmaiar ou desfalecer é síncope. Síncope pode acontecer devido a muitas causas, e diagnosticar a causa exacta podem ser difícil. Durante os últimos anos aprendemos muito em relação a uma causa particular de desmaio: Uma alteração agora conhecida como síncope neurocardiogénica.

Síncope Neurocardiogénica também é conhecido como síncope vasovagal. É devido a uma incapacidade transitória do cérebro para regular a pressão sanguínea e a frequência cardíaca adequadamente. As razões exactas por que isto acontece ainda está pouco clara, mas investigação está evoluindo. Os centros de controle de pressão sanguínea são localizados nas partes posteriores do cérebro ( no tronco cerebral ). Sempre que uma pessoa se pôe de pé, a gravidade puxa o sangue para as extremidades inferiores. O cérebro e outros receptores de pressão sentem esta mudança e compensam aumentando a frequência e força de contração do coração e apertando vasoconstringindo) os vasos das pernas, forçando o sangue no sentido do cérebro. Estes centros autonómicos no tronco cerebral, trabalham como um tipo de termostato para regular a pressão sanguínea. Na síncope neurocardiogénica, o sistema abruptamente falha, permitindo que a pressão sanguínea desça muito baixo, causando isquemia (redução do fluxo sanguíneo) ao cérebro e a frequência cardíaca muitas vezes desce para valores extremamente baixos levando em consequência à perda de consciência (desmaio).

Estes episódios frequentemente começam na adolescência embora eles possam acontecer em qualquer idade. Enquanto o mecanismo pelo qual se perde a consciência seja benigna, as consequências de bater no chão de repente podem não ser, sobretudo se o doente estiver a conduzir veículos ou em posições elevadas. Como o humorista americano Will Rodgers observou, " a queda não dói, é aquela paragem súbita no fim ". Enquanto muitas pessoas terão algum tipo de aviso (pródromos) que a síncope é iminente (tontura, vertigem, palpitação, visão enovoada, nausea etc.),algumas pessoas não tem.

O teste de tilt (inclinação da mesa) é usado para determinar a susceptibilidade de uma pessoa para estes episódios. Um doente é seguro a uma mesa especial e lentamente inclinado com a cabeça para cima num ângulo de entre 60 e 80 graus, e mantem-se assim durante cerca de quarenta minutos. Isto provoca uma queda de sangue para as extremidades (gravidade) que é tolerado facilmente por pessoas com função autonómica normal.

Porém, em doentes com alterações autonómicas (crónicas ou transitórias), este stress ortostático ligeiro provocará uma queda súbita da pressão arterial e da frequência cardíaca. Alguns centros, como o nosso, também usam uma forma sintética de adrenalina (isopronalina)ou ministração de nitratos sublinguais como stress adicional.

A terapêutica para doentes com síncope de neurocardiogénica tem que ser individualizada para ajustar as necessidades dessa pessoa. Muitos doentes com síncope neurocardiogénica apenas precisam de evitar factores predisponentes(como calor extremo, desidratação ou manutenção da posição de pé durante longos periodos de tempo). Alguns necessitarão de fármacos para prevenção de desmaios futuros. Uma variedade de medicamentos diferentes é usada, e nenhum fármaco serve para todos os casos. Alguns doentes podem requerer terapia com baixas doses de dois ou três fármacos em combinação. Normalmente este esquema é melhor tolerado que uma dose muito alta de um único agente.

Em resumo, a síncope neurocardiogénica é uma perturbação complexa, paroxística e comum do sistema nervoso autonómico que pode conduzir a quedas súbitas da pressão sanguínea que levam ao desmaio (síncope).


Click Here!